sexta-feira, 5 de agosto de 2011

ENIO SANTOS




Ênio de Azevedo Santos, conhecido como Ênio Santos, era gaúcho.

As principais atuações de Ênio Santos foram na televisão. Um dos mais famosos coadjuvantes das novelas de TV.

Aos 13 anos, já morando no Rio de Janeiro e sozinho, Ênio Santos começou a frequentar os programas de calouros de Renato Murce na Rádio Nacional. O esforço o levou a ser contratado como cantor pela Rádio Record de São Paulo na década de 40.

Passou, depois, para o radioteatro onde ficou até a década de 60.

Ênio Santos estreou na TV no final da década de 50 na TV Continental, antigo canal 9 do Rio de Janeiro, e sua primeira novela foi "Anastácia", a Mulher Sem Destino", em 1967, na TV Globo.

Sua última participação em novelas foi em 2000, em "O Cravo e a Rosa" e nas horas vagas sua diversão era a pescaria.

Ele foi casado e teve três filhos, mas manteve sempre uma vida muito discreta e a família nunca aparecia nas entrevistas.

No cinema, participou dos filmes "Fantasma por Acaso" (1946); "Asas do Brasil" (1947), "Obrigado, Doutor" (1948) ; "Poeira de Estrelas", (1948), "Por um céu de Liberdade" (1961), "Copacabana Me Engana"(1969), "Os Condenados" e "As Moças Daquela Hora" (1973), "Ipanema, Adeus" (1975) e "Tem Folga na Direção" de 1976.

Como dublador, seus principais trabalhos foram "Zangado ", em Branca de Neve e os Sete Anões; "Timóteo" em Dumbo; "Emelius Browne", em Se a Minha Cama Voasse; "Thomas O'Malley", em Aristogatas; Narrador, em Hércules; "Fa Zu", em Mulan; "Rei Kashekim Nedakh", em Atlântida: O Reino Perdido; "Chefe Pondo", em Moby Dick e o Poderoso Mightor; "Willy Wonka", em A Fantástica Fábrica de Chocolate (1a dublagem). 

No teatro esteve na peça "Crimeterapia" em 1973.

Ênio Santos faleceu no Rio de Janeiro, em 30 de janeiro de 2002, de falência múltipla dos órgãos decorrente de um infarto sofrido dois meses antes.

ARTHUR COSTA FILHO



começou como rádio-ator nas novelas da Rádio Nacional na década de 40. Fez alguns filmes nessa época, entre eles "Aí Vem os Cadetes" e foi estrear na TV apenas em 1970, na novela "Irmãos Coragem" de Janete Clair.

A partir daí, Arthur da Costa Filho fez uma novela atrás da outra, intercaladas por pequenas participações em filmes nacionais.

Participou de novelas de sucesso da TV Globo como "Carinhoso", "Estúpido Cupido", "O Casarão", "Sinal de Alerta", "Ciranda de Pedra", "Jogo da Vida", "Paraíso", "Roque Santeiro" e "Cambalacho".

Arthur Costa Filho também participou do humorístico "A Escolinha do Professor Raimundo" e de episódios do programa "Você Decide".

Atuou, também, nas minisséries "Engraçadinha ... Seus Amores e Seus Pecados" (1995) e "Anos Dourados" (1986) e no Especial "O Crime de Zé Bigorna" (1974).
No teatro fez "Filumena Marturano", "Chicago 1930", "Quem Gosta Demais de Sexo, Morre Fazendo Amor", "O Dia em que Alfredo Virou a Mão", "Brejnev janta Seu Alfaiate", "A Preguiça".

A última participação de Arthur Costa Filho na televisão foi um pequeno papel na minissérie "Chiquinha Gonzaga".

Morreu, aos 76 anos, de infarto, na sua casa no bairro da Tijuca.

Texto Rodolfo Bonventti

E mais:

Tony Ferreira Estreou na TV em 1972 na primeira versão da novela “Selva de Pedra” vivendo o policial Lima. A partir daí, Tony Ferreira fez mais 21 trabalhos entre novelas e minisséries, a o maior parte delas na TV Globo, embora também tenha trabalhado no SBT e na TV Manchete.

Suas principais participações na TV foram nas novelas “Fogo Sobre Terra”, “Escalada”, “O Grito”, “Estúpido Cupido”, “Sem Lenço, Sem Documento”, “O Astro”, “Água Viva”, “Coração Alado”, “Baila Comigo”, “Final Feliz”, “Um Sonho a Mais”, “Mandala” e a minissérie “La Mamma”.

Tony Ferreira fez muito cinema tendo se destacado nos filmes “O Ibrahim do Subúrbio”, “As Mulheres que Dão Certo”, “O Seminarista”, “Noite em Chamas”, “Inquietações de Uma Mulher Casada” e “O Grande Palhaço”.

No teatro, Tony Ferreira fez “Ópera do Malandro” e ainda participou de alguns programas humorísticos como o “Planeta dos Homens”.

Tony Ferreira morreu, em 1994, aos 51 anos, vítima de infecção generalizada.

10 comentários:

  1. Prezado Agnaldo,
    Primeiro preciso elogiar o seu incansável trabalho aqui. Uma coisa inédita e um verdadeiro trabalho de amor. Parabéns.
    Segundo, uma pequena correção nos dados sobre Tony Ferreira. Ele não era o "delegado Orestes" de Selva de Pedra 1972 mas sim o assistente dele, o policial "Lima".
    Agora, eu gostaria de fazer uma pergunta que ninguém sabe responder: quem é o ator que fez o Delegado Orestes em Selva de Pedra em 1972? Olha, se um sujeito como você com um blog como este não souber responder é porque a coisa está mais difícil que eu pensava. Na internet? Ninguém sabe, ninguém viu. Embora o pessoal do Mundo das Novelas seja muito bacana, eles também não sabem. Livros? O mais importante de todos, do falecido Ismael Fernandes, "Memória da Telenovela Brasileira", não tem a resposta. "O Dicionário da TV Globo", da editora Jorge Zahar ou o Almanaque da Telenovela de Nilson Xavier, menos ainda.
    Será que você, com este quixotesco e valoroso blog, conseguiria esta informação, caro Agnaldo? Se eu pudesse eu perguntaria para a Regina Duarte, para o Francisco Cuoco, para o Boni, para o Daniel Filho mas quem sou eu para chegar até eles.
    É um pequeno enigma que eu lhe envio caro Agnaldo mas, como diz o ditado, "assombração sabe para quem aparece".
    Obrigado pela sua atenção e, de novo, parabéns pela sua iniciativa brilhante aqui neste blog.
    Cássio.

    ResponderExcluir
  2. Caro Agnaldo, só mais uma coisa que pode ajudar. Veja o link abaixo:
    http://www.youtube.com/watch?v=HossFHQSq40
    É parte do capítulo 152 de Selva de Pedra 1972 onde Rosana Reis é desmascarada. O primeiro ator que aparece nestas cenas é o que faz o Delegado Orestes. Tony Ferreira, nestas cenas, não aparece (como eu disse ele era o ajudante principal do Delegado Orestes, o policial Lima). Francisco Cuoco está soberbo e soberano neste capítulo e, claro, Regina Duarte, Arnaldo Weiss e o ator já referido, também. Grande cena, de muito impacto 41 anos atrás e hoje também.
    Um abraço e, se for possível, eu gostaria de saber a sua opinião ou seu palpite, caro Agnaldo.
    Cássio.

    ResponderExcluir
  3. Olá Cassio, obrigado pelas palavras e pelo interesse neste blog. Eu faço com muito carinho e respeito pelo profissionais que pouco se sabe ou nada se acha ao pesquisar sobre estes. Estou com pouco tempo para atualizar o blog, mas vou pesquisar sobre este ator que você citou. É minha meta agora descobrir sobre ele. Valeu pela dica, já vou fazer as alterações. Obrigado e abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Agnaldo,
      Primeiro, muito obrigado pela gentileza de responder e se dispor a ajudar. De um sujeito que, sozinho e abnegadamente, faz um trabalho como este que você faz aqui, eu não poderia esperar nada menos que isso. Agora, com você, já somos três. Outro sujeito gente fina como você, o Mário Gordilho, do blog "Elenco Brasileiro" , também está empenhado em descobrir o nome deste ator. Sabe, não é sempre que eu encontro pessoas como vocês dois, ou seja, tem vida própria, saem para trabalhar nas suas respectivas profissões, dão duro todo dia mas ainda encontram tempo e boa vontade para se dedicar a este heróico e altruísta trabalho de resgatar a memória televisiva, teatral e cinematográfica brasileira. Uma memória tão curta, não é mesmo Agnaldo?
      Um grande abraço, caro Agnaldo, muito obrigado de novo e, não importa o desfecho de nossa busca, já valeu ter tido este contato com pessoas como você e o Mário Gordilho, um "pequeno exército", um exército Brancaleone (se você me permite a brincadeira e a singela analogia) que vale por uma corporação inteira.
      Cássio.

      Excluir
    2. Caro Agnaldo, primeiro, obrigado de novo pelo contato. Infelizmente, por esta etapa eu já passei: não é o Adriano Lisboa. Este eu conheço e não é ele. Ele, em Selva de Pedra, fez o papel de "Horácio" que chegou a namorar com a "Diva" (personagem de Dorinha Duval) irmã do Cristiano (Francisco Cuoco). Nada a ver com o delegado Orestes. Abaixo segue links com fotos dele junto ao falecido Francisco di Franco (o "Jerônimo, o Herói do Sertão" lembra?). Você poderá constatar pelas fotos que não é ele. Engraçado que ele até teve um entrevero com o Daniel Filho por causa da mesma Dorinha Duval, na vida real, ela era então casada com o Daniel, parece que durante a feitura do filme "Boca de Ouro" (1963). Parece que o Adriano Lisboa estaria tendo um caso com ela. Boatos ou verdade? Só Deus sabe.
      Mas é isso mesmo Agnaldo, a nossa tarefa não vai ser fácil. É um senhor enigma, uma senhora charada, encontrar o ator que fez o Delegado Orestes. Como eu já percebi que você não é de desistir fácil, não desanime que uma hora nós chegamos lá. Uma possível saída, e aí entra o Mario Gordilho, é o contato com atores vivos que contracenaram com o ator do delegado Orestes em Selva de Pedra. O Mário tem contato com um ator que, em vários capítulos, contracenou com o personagem do delegado. É o Ednei Giovenazzi. O Mário ficou de tentar com ele já que Regina Duarte e Francisco Cuoco estão fora de nosso alcance no momento. Pelo menos fora do meu alcance, não sei você.
      Muito obrigado de novo Agnaldo e valeu a sua tentativa embora não tenha sido desta vez.
      Abaixo os links das fotos com o Adriano Lisboa.
      Um grande abraço e, se eu tiver notícias fique certo que você será o primeiro a recebê-las.
      Cássio
      http://astrosemrevista.blogspot.com.br/2012/04/francisco-di-franco-na-televisao.html

      Excluir
  4. Mais uma vez muito obrigado, Cássio. Mário Gordilho é meu amigo virtual, eu o considero muito. Gosto de desafios e estou empenhado em descobrir o nome e o paradeiro do ator de Selva de Pedra. É esse reconhecimento de pessoas como vc que nos estimulam a continuar com nossos blogs. Valeu, Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom Agnaldo que você conhece e tem amizade com o Mário. Mundo pequeno mesmo. E, repito, "desafios" maiores que manter os blogs de vocês é difícil. Imagino o trabalho que dá. E muito obrigado pela gentileza de suas palavras mas, sinceramente, reconhecer e valorizar o trabalho abnegado de vocês é o mínimo que eu poderia fazer e que bom que pelo menos este mínimo que faço, os estimula a continuar nesta batalha. Grande abraço, Agnaldo.
      Cássio

      Excluir
  5. Agnaldo, finalmente descobri o ator que fez o "Delegado Orestes" em Selva de Pedra, 1972. Uma verdadeira luta para descobrir mas consegui. Se você estiver interessado em publicar a mini-biografia dele aqui neste seu ótimo blog, me diga como enviar todos os detalhes biográficos para você. Um grande abraço. Cássio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cássio, claro que estou interessado. Fico feliz pela descoberta. Pode enviar para o email: agnaldoxp@gmail.com
      Em breve estarei postando sobre ele.
      Abraços

      Excluir